Quilombo de Vassouras

Muito se fala no Quilombo dos Palmares, que foi um dos maiores e mais importantes quilombos que representaram a luta dos negros contra a escravidão. Realmente, foi um quilombo muito importante, com grande participação de Zumbi dos Palmares, seu líder. Mas esse não foi o único quilombo que entrou para a História do Brasil.

Muitos quilombos, em várias regiões do país, lutaram pela liberdade naquela época. Por mais que tenha ficado um pouco esquecido pelos livros de História, existiu um outro grande e importante quilombo, o Quilombo de Vassouras. Ficava na província do Rio de Janeiro, e era formado por aproximadamente 300 escravos que trabalhavam na lavoura de café e que se rebelaram contra seus senhores e suas chibatas.

No ano de 1838 os negros tentaram tomar uma fábrica de pólvora que ficava ao pé da Serra da Estrala, próxima ao Quilombo. Não conseguiram. Se tivessem conseguido, esse quilombo teria tomado grandes proporções.

Porém, essa rebelião só fez com que os senhores se alertassem para as possíveis fugas dos escravos. Tropas da Força Imperial foram convocadas para acabar e sufocar a rebelião.

O Fim do Quilombo de Vassouras

manoel congo

Manoel Congo, líder do Quilombo de Vassouras

Manoel Congo, que era o líder do quilombo, foi condenado à morte. Os outros escravos que participaram do movimento foram condenados a três anos de gonzo (dobradiça de ferro que envolvia o pescoço) e 650 chibatadas. Aplicavam no máximo 50 chibatadas por dia, para evitar que o escravo morresse antes de pagar a sentença.

O Quilombo de Vassouras teve um fim parecido com o Quilombo dos Palmares, com a morte do seu líder e o aumento da repressão contra os escravos.

Deixe sua mensagem

Your email address will not be published. Required fields are marked *