Imperialismo

Na Antiguidade, vários povos, como os babilônios, egípcios, persas, gregos e romanos, dominaram vastas regiões pela força, construindo imensos impérios. Na era moderna, têm sido chamadas de imperialistas as nações que dominam política e economicamente outros povos. Além da conquista militar direta, isso pode acontecer de várias outras formas, como, por exemplo, o recurso à pressão econômica.

O Termo Imperialismo

O termo “imperialismo” surgiu no século XIX para designar a política expansionista de potências industriais como a Inglaterra. Embora as descobertas marítimas dos séculos XV e XVI e a exploração das colônias fossem obra de Portugal e Espanha, a maior parte dos lucros assim obtidos acabou se transferindo para a Inglaterra, que a partir do século XVII firmou seu comércio, indústria e poderio militar (basicamente naval) e tornou-se a maior potência mundial. No século XIX, procurou conquistar mais mercado, apoiando a independência das colônias americanas e defendendo a abolição dos escravos. Em outros casos, empregou a força: guerra dos Cipaios, na Índia; guerra do Ópio, na China; e na ampliação de seus territórios na África.

imperialismo

São imperialistas as nações que dominam política e economicamente outras nações

Depois de 1870, começou a grande corrida imperialista, envolvendo outros países. Assim, a África ficou dividida entre nações europeias, sobretudo Inglaterra e França. Os ingleses se adiantaram mais, dominando também a Índia, a Birmânia e o Egito. O Japão surgia como potência e procurava estabelecer colônias no Extremo Oriente, seguido pelos Estados Unidos, que também se voltaram para a América espanhola.

A luta entre as potências industriais em busca de mercados e fontes de matérias-primas acabou provocando a Primeira Guerra Mundial. Depois dos conflitos subsequentes e da Segunda Guerra Mundial, muitas colônia ficaram independentes. Verificava-se então que não era preciso manter uma custosa dominação política quando se poderia dominar economicamente as antigas colônias. Além disso, o domínio político formal perdeu sentido nessa fase de expansão das poderosas empresas multinacionais, cuja influência ultrapassava as intenções de um só governo.

Deixe sua mensagem

Your email address will not be published. Required fields are marked *