Reino Vegetal – Parte 1

O reino vegetal é composto por um grupo de seres extremamente importantes para a biodiversidade. Um exemplo desta importância é a produção de O2 (oxigênio), através da fotossíntese, que permite a sobrevivência de organismos aeróbicos (que são seres que precisam do oxigênio para respirar). Além de liberar O2, a fotossíntese absorve o CO2 (gás carbônico), retirando-o da atmosfera e incorporando à biomassa. O gás carbônico é prejudicial aos seres aeróbios.

Como representantes desse reino temos as plantas e as algas. São seres autótrofos, ou seja, produzem seu próprio alimento através da fotossíntese. Vejamos a seguir outras características importantes dos seres desse reino.

Algumas características do reino vegetal

Os seres do reino vegetal têm características próprias, que os diferem dos seres de outros reinos. Veja:

  • São pluricelulares (têm mais de uma célula);
  • Autótrofos (produzem seu próprio alimento);
  • Eucariontes (possuem carioteca, membrana que envolve o núcleo celular, separando-o do citoplasma);
  • Parede celular de celulose.

Divisões e Subdivisões do reino Vegetal

Árvore filogenética

Árvore filogenética

Briófitas

Seus principais representantes são os musgos. Algumas características são:

  • Vivem em ambiente úmido e com sombra,
  • Tem cutícula protetora delgada ou ausente,
  • São plantas de pequeno porte,
  • Sua nutrição é por difusão (o alimento é absorvido por uma célula e repassada às outras, uma a uma), uma vez que são atraqueófitas (únicas do reino vegetal sem vasos condutores de nutrientes);
  • Sua reprodução acontece em duas fases, uma assexuada e outra sexuada. Na primeira o gametófito masculino produz gametas flagelados, chamados de anterozoides, enquanto o feminino produz gametas imóveis, chamados de oosferas. Os anterozoides alcançam a planta feminina, levados pela água, e nadam em direção a oosfera. Desta união surge o zigoto, que cresce e se desenvolve formando o esporófito, a fase assexuada, que quando maduro libera os esporos que podem germinar em solo úmido, dando início a um novo ciclo. Desta maneira, as briófitas possuem gametófitos duradouros e esporófitos temporários, o que as torna uma exceção neste quesito.
Briófitas

Ciclo reprodutor das briófitas

A necessidade da água para a reprodução é um dos fatores que restringe a briófita ao ambiente úmido.

Pteridófitas

Foram as primeiras integrantes do reino vegetal a se tornarem traqueófitas, ou seja, possuir vasos condutores de nutrientes, que podem ser xilema ou floema. São representadas principalmente pelas samambaias, e suas características principais são:

  • Vivem em ambiente úmido;
  • Possuem cutícula espessa;
  • São de grande porte;
  • Assim como as briófitas, apresentam reprodução em 2 fases, com a diferença que neste caso, os gametófitos são temporários e os esporófitos são duradouros.
Pteridofitas

Ciclo reprodutor das pteridófitas

É importante lembrar que as briófitas e pteridófitas ainda não possuem sementes, flores nem tubo polínico. Estas características só serão encontradas nas gimnospermas e angiospermas.

Continue estudando o Reino Vegetal no segundo post sobre o assunto: Reino Vegetal – Parte 2.

Comentários
  1. tatiane

Deixe sua mensagem

Your email address will not be published. Required fields are marked *