As Doutrinas do Poderio dos Estados Unidos

Os Estados Unidos da América é uma república constitucional que possui 50 estados e o distrito federal. Os povos indígenas inicialmente imigraram da Ásia, e mais tarde os europeus começaram a colonização do território. Foram formadas as treze colônias, advindas da ocupação dos ingleses no território que se tornaria norte americano. A partir desta colonização, os EUA passou a se desenvolver culturalmente, militarmente, economicamente e politicamente, se tornando uma potência internacional.

A história de dominação global dos Estados Unidos remete há alguns anos. A atuação e desempenho do país nas duas guerras mundiais, e também na Guerra Fria, mostrou o potencial do país, no que se tange às questões bélicas. Depois da Guerra Fria e bipolaridade mundial, o dólar passou a ser a moeda mais importante mundialmente, e a cultura estadunidense se espalhou. Algumas doutrinas, posicionamentos intelectuais, filosóficos e até religiosos colaboraram para esse sucesso, confira abaixo.

Iluminismo

A independência dos Estados Unidos se deu baseada nas ideias do Iluminismo (democracia, o liberalismo econômico, liberdade de culto e de pensamento). Por isso, podemos dizer que este movimento contribuiu para o poderio do país.

Este movimento se tornou popular na França do século XVIII. Porém, sua origem está em Jonh Locke, que desenvolveu a ideia iluminista de acordo com a expansão liberalista que ocorreu na Europa. O iluminismo surgiu como crítica ao absolutismo monárquico e o mercantilismo, além do absolutismo e dominância exercidos pela Igreja Católica.

Nos Estados Unidos, as colônias ao Sul eram de exploração e as ao Norte, de povoamento. A Inglaterra não exerceu um poder central na colonização, como aconteceu com Portugal em relação ao Brasil. Ela estabeleceu um regime de negligência salutar, no qual colônias eram praticamente autônomas e não sofriam intervencionismo da metrópole.

Treze Colônias

Porém, depois da Guerra dos Sete Anos, a Inglaterra quis mudar este modelo e exercer mais influência e controle nas colônias. Assim, começou a taxação de produtos e a determinação de leis como a Lei do Chá. Isso trouxe um sentimento de revolta, pois as colônias não queriam se submeter aos interesses britânicos.

Então, as Treze Colônias, influenciadas pelos ideais iluministas e pela Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, deram início ao processo de independência.

Destino Manifesto

Após a independência americana, foi estimulado que os americanos colonizassem áreas ainda desconhecidas do território americano. Assim, aconteceria um mapeamento do país. Porém, estas áreas já eram habitadas pelos nativos indígenas, de modo que foi desenvolvido o Destino Manifesto, que pregava que os americanos eram eleitos por Deus para levar “progresso” e a “civilização”a outros povos. Devido a esse pensamento, milhares de índios e mexicanos foram mortos em meados do século XIX, para realizar expansões territoriais.

Com a doutrina do Destino Manifesto começou a propagar-se a ideia de que os estadunidenses eram os elegidos por Deus para comendar o mundo e exercerem poder econômico, político e social. E a dominação global começaria pela expansão para o Oeste.

Segundo o jornalista John Louis O’Sullivan, que cunhou o termo Destino Manifesto em 1845, “E essa reivindicação nos é dada pelo direito do nosso Destino Manifesto de nos expandir e possuir todo o continente que a Providência nos deu para o desenvolvimento da grande experiência da Liberdade.”

Liberalismo Econômico

O Liberalismo Econômico se baseia nas premissas do livre mercado, direito à propriedade privada, liberdade ao individualismo, não intervenção do Estado sobre o mercado, competitividade e geração de riqueza. Ou seja, segundo o Liberalismo, a economia se autorregula devido à uma “mão invisível”, o que despreza a atuação do Estado.

Este é um dos ideais do Iluminismo, que teve grande importância no crescimento dos EUA, principalmente na construção de indústrias. Em meados do século XIX, o país já se despontava como a quinta nação do mundo em produção industrial. A verdade é que dentro do país existiam grandes monopólios, que formavam grupos empresariais enormes e fortes, que existem até hoje. 

Doutrina Monroe

Essa doutrina foi mais um aspecto que comprovou como os EUA estava crescendo economicamente e politicamente, como uma nação independente. Em 1823, o presidente James Monroe determinou que, a partir daquele momento, não iria aceitar quaisquer interferências dos países europeus na economia dos EUA.

A ideia de “América para os americanos” contribuiu para o início da hegemonia estadunidense em toda América.

Ética Calvinista Protestante

O calvinismo foi uma ideologia que surgiu com João Calvino, no século XVI. Ela é uma vertente do protestantismo, que se tornou muito popular nos Estados Unidos.

O calvinismo defende a ideia de que o trabalho árduo é fruto da dedicação do indivíduo à Deus e à religião, sendo o dinheiro fruto de merecimento. Ou seja, o trabalho era um meio da pessoa conseguir a salvação, e o ócio era algo desprezado.

Esse movimento foi mais um fato que contribuiu para a formação da superpotência conhecida por todos como os Estados Unidos da América.

Comentários
  1. matheus henrique

Deixe sua mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *