Revolução Francesa – Início

Com a situação econômica em frangalhos e o povo extremamente insatisfeito, a Revolução acabou por eclodir. Unido, o povo foi às ruas em protesto e em 14 de julho de 1879 a Bastilha foi tomada pela população. A Bastilha era uma prisão política que vinha a ser um dos mais fortes símbolos da monarquia francesa, e sua derrubada pelo povo teve um significado extremamente importante. Os revolucionários adotaram o conhecido tema “Liberdade, Igualdade e Fraternidade” para sua revolução, ideais que por fim não foram exatamente cumpridos.

Primeiras mudanças

Diante da revolução popular, muitos membros da nobreza tentaram deixar a França, alguns sem sucesso, sendo capturados pelos revoltosos. Dentre estes, incluíam-se Luis XVI e Maria Antonieta e outros importantes membros do Clero e da Nobreza.

Depois do fracasso da tentativa de uma Assembleia Geral dos Estados e após a tomada da Bastilha, os revoltosos instituíram a Assembleia Constituinte, composta pelo povo e pelas novas forças políticas dominantes. Esta assembleia tomou importantes atitudes ao longo da sua vigência, como:

Revolução Francesa

A Liberdade Guiando o Povo, de Eugéne Delacroix

  • Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, um documento tinha por princípio básico o respeito pela dignidade das pessoas, liberdade e igualdade dos cidadãos perante a lei, direito à propriedade individual, direito de resistência à opressão política e liberdade de pensamento e opinião.
  • Constituição Civil do Clero, um documento que reduziu o poder do clero, confiscou grande parte de suas propriedades e subjugou seus membros ao poder do Estado. O documento não foi aceito pelo Papa e os clérigos tiveram que escolher entre duas posições: sair da França ou lutar contra a revolução.
  • Nova Constituição Francesa: Composta pelos membros da Assembleia Constituinte, tinha como principais pontos a igualdade jurídica entre os indivíduos, fim dos privilégios do clero e nobreza, liberdade de produção e de comércio, liberdade de crença, separação do estado da Igreja, criação dos três poderes (Legislativo, Executivo e Judiciário).

Luis XVI não aceitou os termos desta constituição e tentou unir-se aos contra-revolucionários (nobres que haviam fugido da França e monarcas da Áustria e Prússia), mas foi reconhecido e capturado durante sua fuga.

Entenda o contexto histórico da Revolução Francesa e as fases do processo revolucionário.

Relacionados

Deixe sua mensagem

Your email address will not be published. Required fields are marked *