Eletricidade

Por volta do século VI a.C, o filósofo e matemático grego Tales de Mileto iniciou os estudos sobre a eletricidade. Foi a partir de uma resina vegetal chamada de âmbar que Tales de Mileto começou as observações. A primeira observação foi que ao atritar com tecido, ou pele de animal, essa resina adquiria a capacidade de atrair pequenos pedaços de palha ou pequenas penas de aves. Em grego, âmbar se diz elektron. Foi daí que surgiram as palavras elétron e eletricidade.

O âmbar, atritado com outro material, atrai pequenas penas

O âmbar, atritado com outro material, atrai pequenas penas

Após essa descoberta, os estudos sobre a eletricidade ficaram parados por vinte anos. Somente no século XVI, Willian Gilbert, que era médico da rainha Elizabeth I, da Inglaterra, descobriu que o mesmo feito de Tales de Mileto poderia ser reproduzido com outros objetos.

No século XVIII o cientista norte-americano Benjamin Franklin criou a teoria de que a carga elétrica passa de um corpo para outro. Hoje sabe-se que o que é transmitido são os elétrons. Chamamos de corpo eletricamente positivo um corpo com falta de elétrons e de corpo eletricamente negativo o que está com excesso de elétrons.

As divisões da eletricidade

Eletrostática: Estuda o conceito de carga elétrica, campo elétrico, potencial elétrico, ou seja, a eletrostática é o ramo da eletricidade que estuda o comportamento das cargas elétricas em repouso.

Eletrodinâmica: Esse ramo da eletricidade estuda a corrente elétrica e os elementos de um circuito elétrico, que são os resistores e capacitores. A associação entre eles, tanto em série quanto em paralelo, também são estudadas por esta área. Percebemos então, que a eletrodinâmica estuda as cargas elétricas em movimento.

Eletromagnetismo: Nesta área são estudados os campos magnéticos, forças magnéticas, entre outros. Através desses estudos é possível entender o funcionamento das transmissões de rádio e televisão. O estudo do comportamento e o efeito produzido pela movimentação das cargas elétricas é feito pelo eletromagnetismo.

Deixe sua mensagem

Your email address will not be published. Required fields are marked *