Variedade linguística: preconceito linguístico

Em todas as línguas do mundo, manifesta-se um fenômeno conhecido como “variação linguística”. Isso significa que os indivíduos, dependendo de sua condição geográfica, história, social ou estilística – e dependendo, também, de seu contexto cultural – exercem influência sobre o idioma e modificam seu aspecto tanto na forma oral quanto na forma escrita.

A comunicação está presente no cotidiano de todas as civilizações. Mesmo aqueles que não podem falar, ouvir ou escrever encontram suas próprias maneiras de se comunicar. As mais diversas formas linguísticas – e todas as suas variações – são a característica básica e primordial do ser humano. É através da comunicação que podemos expressar quem somos, o que sentimos, em que acreditamos e, dessa forma, nos tornamos únicos e especiais, cada um a seu modo.

Por todos esses motivos, não há razão para que tenhamos preconceito contra qualquer indivíduo que manifeste uma variedade linguística diferente da nossa. As diferenças são o que nos caracteriza e o que permite que a humanidade continue existindo. Quando estamos lidando com seres humanos, o respeito precisa estar presente em todos os aspectos, e com a variação linguística não é diferente.

Mas, afinal, o que é o preconceito linguístico?

Preconceito é o nome dado ao ato de ridicularizar, desrespeitar e, consequentemente, humilhar alguém ou algo que não está de acordo com os nossos padrões. O preconceito linguístico, por sua vez, é o ato de depreciar a fala ou a escrita do outro.

Variedade linguística: preconceito linguístico

Humilhar um indivíduo não é aceitável em nenhuma situação

O preconceito linguístico é manifestado das mais diversas formas. Essa manifestação varia de acordo com as ideias de “certo e errado” e “bom e ruim” de cada indivíduo. Embora a língua portuguesa, assim como qualquer outra língua, tenha suas normas para garantir a manutenção do idioma e para garantir que todos possam conviver e se comunicar civilizadamente, e embora cada um tenha o direito de escolher do que gosta mais ou não, nada justifica humilhar o outro por sua forma de falar.

À medida que a humanidade evolui, a língua evolui também. Portanto, a língua pode ser considerada um objeto histórico, estando sempre sujeita a transformações e variações de acordo com uma série de fatores – alguns deles são aqueles citados no início desse artigo. Julgar ou ridicularizar um indivíduo apenas por discordar de sua variante linguística é estupidez. O respeito é fundamental e é ele que deve sempre reger nossas atitudes.

Preconceito Linguístico no Brasil

No Brasil este preconceito é muito recorrente, devido à grande extensão do país e seus costumes diferentes. A forma de falar muda muito do norte para o sul e, infelizmente, é muito comum ocorrer o preconceito linguístico nesses casos.

Dentro de um mesmo estado pode ocorrer o preconceito, por exemplo, entre um indivíduo que mora na capital e outro que mora no interior.

Os indivíduos que sofrem com o preconceito linguístico muitas vezes adquirem problemas de sociabilidade ou mesmo distúrbios psicológicos, precisando de acompanhamento psicológico para voltar à sua rotina.

Deixe sua mensagem

Your email address will not be published. Required fields are marked *