Diferentes usos do Porque

Na língua portuguesa é frequente que uma palavra tenha vários significados ou aplicações. Um dos exemplos é o porque. Apesar de ser escrito de formas diferentes (porque, porquê, por que, por quê ), todos tem a mesma sonoridade, o que causa alguma confusão a respeito de seus usos. Para esclarecer em que tipo de situação cada um dos porque deve ser usado, basta lembrar das suas regras gramaticais.

A regra geral para este caso é que toda vez que for possível substituir “porque” e “porquê” por expressões como: por que motivo, para que, por que razão, pelo qual ou por onde, a palavra é escrita separada. Ainda assim, fique atento aos casos em separado.

Por que

Usado quando não existe nenhum tipo de pausa após sua colocação.

Ex.: Aquele foi o rio por que passei ontem.

Porque

Nem só de interrogações vive o porque

Por quê

Usado quando existe uma pausa longa (vírgulas e pontos finais) após sua colocação.

Ex.: Não sei por quê, mas acho que hoje será um bom dia.

Porque

Usado no início da frase em situações que indiquem questionamento ou explicação ou ainda que não se enquadre em nenhuma das situações onde se usam por que e por quê.

Ex.: Porque você cortou o cabelo tão curto?

Porque acho que este corte valoriza o formato do meu rosto.

Porquê

Usado de maneira substantivada, colocado antes de algum artigo (o, a, os, as, um, uma, etc.). Geralmente possui ideia de motivo.

Ex.: Os professores discutiram o porquê das notas baixas.

Deixe sua mensagem

Your email address will not be published. Required fields are marked *