Mudanças nas provas do Enem

Como muitos já sabem, este ano foram feitas algumas modificações nos testes do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). Uma das mudanças é que as provas serão aplicadas em dois dias, com uma quantidade superior de questões (de 63 questões para 180 questões). Outra mudança é que as disciplinas não estão mais separadas por blocos, mas sim agrupadas em quatro grandes áreas de conhecimento. São elas:

  • Ciências Humanas e suas Tecnologias: História, Geografia, Filosofia e Sociologia;
  • Ciências da Natureza e suas Tecnologias: Química, Física e Biologia;
  • Linguagens, Códigos e suas Tecnologias e Redação: Língua Portuguesa, Literatura, Língua Estrangeira, Artes, Educação Física e Tecnologias da Informação e Comunicação;
  • Matemática e suas Tecnologias: Matemática.

Mudanças na prova de Física

A prova de física deste ano estará bem diferente das anteriores. A proposta é que não se decore mais aquelas fórmulas e cálculos. A prova procura abordar situações vivenciadas diariamente pelos estudantes e visa também a interdisciplinaridade. Dessa forma, as habilidades exigidas nessa prova são capacidade de interpretação, domínio de linguagens (matemática, científica, etc.), enfrentar situações-problema.

Mudanças na prova de Matemática

Assim como a prova de Física, a de Matemática também deseja que os alunos tenham raciocínio lógico e criatividade ao lidar com uma situação-problema. As provas não estão mais focadas somente no conteúdo das matérias. Por isso é importante estudar com exercícios contextualizados e interdisciplinares, pois estes trabalham a interpretação das informações para a construção de um raciocínio.

A redação

Enem

Fique atento às mudanças nas provas

A redação teve mudanças na forma de correção. Até o ano passado, a redação era corrigida por dois examinadores e um terceiro examinador só era chamado caso a diferença de pontos entre os dois primeiros passasse de 300. Este ano, o terceiro examinador será requisitado caso haja discrepância de mais de 80 pontos nas notas dos dois corretores. Há também a possibilidade de acionar uma banca examinadora se o terceiro corretor não conseguir chegar a um consenso com os outros dois. Essa banca será presidida por um doutor e terá a função de dar a nota final.

Estas mudanças foram feitas por causa das frequentes reclamações em relação à correção da redação. Além disso, os candidatos terão  acesso às redações corrigidas, graças a um acordo firmado entre o MEC e o Ministério Público Federal do Distrito Federal.

Deixe sua mensagem

Your email address will not be published. Required fields are marked *