Realismo e Naturalismo

O Realismo e o Naturalismo se misturam na literatura brasileira, não só em relação ao período de ocorrência, de 1881 a 1893, como nos propósitos e temas tratados por ambos os movimentos.

A obra inaugural do Realismo é Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis, publicado no ano de 1881. O Naturalismo teve duas obras consideradas iniciais. Uma delas, O Coronel Sangrento, de Inglês de Sousa, foi publicada em 1877 e já contava com muitas das críticas e características que a obra O Mulato (1881), de Aluísio Azevedo viria a consolidar.

Mas apesar de todas as semelhanças, o Naturalismo e o Realismo também se diferem entre si. Enquanto o Realismo vê o homem interagindo com seu meio social, o Naturalismo mostra o homem como produto de forças “naturais”, desenvolvendo temas voltados para a análise do comportamento patológico do homem, de suas taras sexuais, e também de seu lado animalesco.

Aspectos Históricos

O século XIX foi um período de grandes transformações na estrutura social europeia. A burguesia, que vinha questionando sua condição de submissão política desde meados do século XVII, finalmente consegue consolidar seu poder e substitui a aristocracia. A Revolução Industrial contribuiu para um grande desenvolvimento tecnológico, ressaltando as ciências e colocando em cheque os antigos valores religiosos.

A obra A Origem das Espécies, de Charles Darwin, publicada em 1859, defendendo a Teoria da Evolução, questiona o mito da origem criado e explicado pela religião. A teoria evolucionista foi então incorporada e inspirava os naturalistas, que acreditavam ser a seleção natural que impulsionava a transformação das espécies. Isso acabou repercutindo em áreas como a economia, política e, principalmente na filosofia e literatura expressa nas obras de Dickens, entre outras, pelo desencantamento do mundo e pela construção de mundo dominado por máquinas. A propagação do materialismo se opõe ao mundo romântico.

No Brasil

Memórias Póstumas de Brás Cubas

Memórias Póstumas de Brás Cubas

As teorias europeias chegam ao Brasil com a chegada dos primeiros imigrantes, além dos estudantes que retornam do Velho Mundo com novas concepções e tecnologias. O uso do telégrafo e a circulação sistemática de jornais ajudaram a propagar com maior agilidade as informações, transformando as noções de tempo e espaço. Como as notícias demoravam menos para se espalhar, as distâncias diminuíram.

Eça de Queirós, com as obras O crime do padre Amaro e O primo Basílio, publicadas na década de 1870, influenciou a prosa naturalista. Aluísio de Azevedo com a obra O mulato, publicada em 1881, marcou o início do Naturalismo brasileiro, a obra O cortiço, também de sua autoria, marcou essa tendência.

Principais características do Realismo e do Naturalismo

Estes dois estilos literários surgiram em oposição ao mundo idealizado pelo Romantismo. Seus temas descreviam situações do cotidiano, denunciavam abusos das elites locais, criticavam as oligarquias, donas do poder e se propunham a não mais fantasiar a realidade.

Deixe sua mensagem

Your email address will not be published. Required fields are marked *