Fernando Pessoa

Considerado o maior poeta português do século XX, Fernando Antônio Nogueira Pessoa nasceu em Lisboa no ano de 1888, mas passou a infância e parte da juventude na África do Sul, onde estudou num colégio inglês. Regressou a Lisboa em 1907, passando a trabalhar como correspondente comercial.

Iniciou suas atividades literárias em 1912, colaborando na revista A Águia. Por essa época conheceu dois grandes poetas portugueses, Almada Negreiros e Mário de Sá Carneiro, que o puseram em contato com as idéias do movimento modernista. Desde então sua produção poética foi intensa e variada.

Heterônimos de Fernando Pessoa

Fernado Pessoa

Fernando Pessoa

Característica marcante da atividade literária de Fernando Pessoa é que ele escreveu sob vários nomes, mas cada um desses heterônimos possui estilo e concepção próprios. Tinham inclusive biografias próprias. Seus três principais heterônimos são: Alberto Caieiro, o mestre de todos os outros, que era autodidata e só escrevia em versos livres; Ricardo Reis, médico, educado em colégio de jesuítas, que adotava o classicismo literário; e Álvaro de Campos, engenheiro naval, formado em Glasgow, na Escócia, e que encarava a vida com extrema amargura. Mas numerosos poemas foram publicados sob outros pseudônimos ou com seu próprio nome. Cada um desses “autores” realizou obra característica e de grande valor literário.

A Morte do Poeta

Alguns anos antes de morrer, Fernando Pessoa procurou inutilmente trocar a profissão de correspondente comercial pela de “conservador bibliográfico” de um museu.

O poeta morreu em Lisboa em 1935 na quase obscuridade, pois somente na década de 1940, com a publicação de sua obra, passou a ser reconhecido como uma das maiores expressões da literatura portuguesa.

Deixe sua mensagem

Your email address will not be published. Required fields are marked *