Revolta da Vacina

No século XX  o Rio de Janeiro passava por uma séria crise. A população sofria com a falta de saneamento básico, o que desencadeava uma série de epidemias, entre elas, febre amarela, peste bubônica e varíola. Quem mais sofria com esta situação precária era a população de baixa renda. As doenças eram muito frequentes entre as pessoas mais carentes.

Com o intuito de reurbanizar a cidade e de melhorar o sistema de saneamento básico, o presidente Rodrigues Alves nomeou o médico e sanitarista Oswaldo Cruz como chefe do Departamento Nacional de Saúde Pública, com o objetivo de melhorar as condições sanitárias da cidade.

oswaldo cruz

Oswaldo Cruz, o criador da Campanha de Vacinação Obrigatória

Campanha de Vacinação Obrigatória

Para diminuir os casos de doenças na cidade, Oswaldo Cruz criou uma Campanha de Vacinação Obrigatória contra a varíola. A população não entendia o funcionamento das vacinas e não foram esclarecidas suas dúvidas, por isto, se negavam a tomar as tais vacinas, que alguns acreditavam que era a própria doença sendo injetada no corpo. Hoje sabemos como isso é benéfico para a saúde, mas naquela época, as pessoas não tinham informação suficiente.

Esta campanha aconteceu em 1904, e gerou uma grande revolta da população, pois em alguns casos as vacinas eram aplicadas de forma autoritária e violenta, já que as pessoas se recusavam a receber as vacinas, por medo. Sabe-se que alguns agentes sanitários invadiam casas e aplicavam a vacina a força.

A Revolta Popular

Além da insatisfação com a vacinação obrigatória, o povo ainda passava por outros problemas, como a retirada de cortiços no centro da cidade. Várias casas humildemente construídas pela população pobre foram derrubadas para dar continuidade ao planejamento de reurbanização da cidade.

Culminando com a inflação, o desemprego e o alto custo de vida, a população se rebelou, destruindo bondes, apedrejando prédios públicos, etc. Diante de tanta revolta, em 16 de novembro de 1904, o presidente Rodrigues Alves anulou a campanha de vacinação obrigatória e enviou o exército às ruas para acabar com os tumultos.

Deixe sua mensagem

Your email address will not be published. Required fields are marked *