Budismo

Quinhentos anos antes do nascimento de Cristo, viveu na Índia um grande pregador religioso a quem os seus seguidores chamavam de “Buda“, palavra que significa “o iluminado”. Seu verdadeiro nome era Sidarta Gautama e ele nasceu em Kapilavastu, capital de um reino próximo ao Nepal.

Filho de um rajá, ou príncipe, Sidarta foi criado em meio a grande luxo. Aos 30 anos, porém, abandonou tudo que tinha e foi viver como eremita, tentando encontrar a plenitude espiritual. Conta-se que ele atingiu a “iluminação”, meditando à sombra de uma figueira sagrada. A partir desse instante Sidarta deixou de existir e ele passou a ser simplesmente Buda. Daí em diante dedicou-se à pregação de sua doutrina, até sua morte aos 80 anos, por volta de 483 a.C.

As Verdades Sagradas do Budismo

Budismo

Budismo

Uma das características principais do Budismo é a importância da experiência individual. Segundo os princípios budistas, o homem só alcança a iluminação pelo seu próprio esforço. Mas ele tem que conhecer as quatro verdades sagradas:

  1. A verdade sobre a dor: a dor é uma constante na vida;
  2. A verdade sobre a origem da dor: a sensualidade, o desejo de viver, o apego às coisas produzem a dor;
  3. A verdade sobre a supressão da dor: extinguindo-se esse apego escapa-se da vida e da dor;
  4. A verdade sobre o caminho que leva à supressão da dor: para se escapar da dor é preciso evitar tanto os desejos como a severidade.

A virtude está no Caminho do Meio, também chamado Caminho dos Oito Passos: segundo este código de conduta as pessoas devem se esforçar para atingir a correção nos olhares, resoluções, palavras, ações, meio de vida, concentração e contemplação.

Segundo o Budismo, um homem quando alcança a iluminação penetra no Nirvana, um estado no qual não há desejos nem sofrimento. Buda ensinou também que todas as coisas mudam e que nada é permanente. Os budistas creem que as criaturas nascem muitas vezes: os pecados das vidas passadas de um homem explicam os sofrimentos da vida presente.

Já no começo da Era Cristã, o budismo dividiu-se em duas grandes correntes: Hinayana, presente sobretudo nos países do sudeste asiático e Sri Lanka, e Mahayana, dominante na maior parte do mundo budista: Tibete, Coréia, China e Japão. Mais recentemente surgiu uma terceira corrente, o Zen-Budismo.

Deixe sua mensagem

Your email address will not be published. Required fields are marked *