Placas Tectônicas: Entenda os Movimentos

Ao estudar a estrutura e formação do planeta Terra, você já deve ter se deparado com o termo “Placas Tectônicas”. Apesar de muito conhecido, grande parte da população não faz ideia do que isso significa, muito menos como seu movimento funciona e pode influenciar no dia a dia dos seres que habitam nosso planeta. Exatamente pela importância dessa influência, este é um tema muito recorrente nos vestibulares.

Olhe pela janela e perceba que a superfície do nosso planeta possui formas de relevo diferentes, ou busque por noticias internacionais que você provavelmente vai encontrar algo sobre tremores de terra ou atividades vulcânicas. Mas você já se perguntou sobre a origem desses acontecimentos?

No post de hoje você vai aprender tudo sobre as placas tectônicas e impacto na forma de vida no planeta. Vamos te explicar o significado desse conceito e qual a relação dessas placas com os fenômenos naturais citados acima. Bons Estudos!

O que são Placas Tectônicas?

A teoria mais aceita pelos cientistas nos dias de hoje é de que a crosta terrestre, também chamada de litosfera, seja formada por diversas placas fragmentadas, chamadas de Placas Tectônicas. De acordo com essa corrente de pensamento, essas placas estariam apoiadas sobre o Manto da Terra e realizando alguns movimentos característicos que serão abordados mais tarde.

Atualmente são consideradas a existência de 12 placas principais, mas elas podem conter placas menores que ainda não foram nomeadas ou não demonstraram grande relevância. As placas conhecidas hoje são: Placa Eurasiática, Placa Indo-Australiana, Placa Filipina, Placa dos Cocos, Placa do Pacífico, Placa Norte-Americana, Placa Arábica, Placa de Nazca, Placa Sul-Americana, Placa Africana, Placa Antártica e Placa Caribeana.

Curiosidade: O Brasil está localizado no centro da Placa Sul Americana e por isso não há ocorrência de terremotos e vulcões por aqui. Mas afinal, qual a relação dessas placas com os fenômenos naturais citados?

O Movimento das Placas

Como já foi dito anteriormente, as placas tectônicas são porções fragmentadas da crosta terrestre. Esses fragmentos são limitados por zonas chamadas zonas de convergência e divergência. Em outras palavras, esse é o nome dado para as regiões limites de cada placa, onde ocorrem suas interações.

Essas movimentações e colisões são responsáveis por causar os terremotos, vulcões e outros fenômenos naturais em suas bordas. É por isso que se observarmos o mapa abaixo poderemos reparar que os países que não tem nenhum ponto de seu território cortado por uma placa tectônica geralmente são aqueles que não possuem ocorrência de vulcões e tremores de grande escala.

Placas tectonicas

Principais placas e seus movimentos

Como visto, o choque causado pelos movimentos das placas são os agentes para a modificação do relevo na superfície terrestre. Essas colisões podem ocorrer de diferentes maneiras, sendo divididos em três grandes grupos:

Falhas Transformantes ou Conservativo

Falhas Transformantes

Falhas Transformantes

Ocorrem quando duas placas deslizam lado a lado, conforme indicado na imagem, criando muita tensão nas suas extremidades. Essa energia que pode ser revertida em terremotos na superfície, mas no geral lavam mais tempo para mudar o relevo local.

Um exemplo de efeito desse movimento é a falha de San Andreas, que corta a costa da Califórnia e o litoral oeste do México.

Placas convergentes

Movimento convergente

Movimento convergente

São placas que se movimentam em direção uma à outra, fazendo com que a mais densa acabe indo para baixo da menos densa. As regiões cortadas por este tipo de placa são as mais sujeitas a tremores de terra. Também é esse tipo de movimentação que está associada aos grandes terremotos registrados.

Um exemplo é o encontro de uma placa oceânica (menos densa) e uma continental (mais densa), que pode gerar cadeias montanhosas. A famosa cordilheira dos Andes nasceu do choque entre duas placas desse tipo, a oceânica de Nazca e a continental Sul-Americana.

Existem também placas convergentes de mesma densidade, que quando se chocam criam também cadeias montanhosas. Um exemplo clássico é o Himalaia, resultado do choque entre as placas Euro-Asiática e Indiana.

Placas divergentes

Movimento divergente

Movimento divergente

Nesse tipo de movimentação uma placa se afasta uma da outra, deixando aberturas na crosta terrestre pelas quais pode escapar o magma. Esse tipo de interação é responsável pela formação de ilhas vulcânicas, por exemplo.

Esse movimento também pode ocorrer entre uma placa continental e uma oceânica, causando o efeito chamado de expansão oceânica. Um exemplo desse tipo de comportamento é o que está ocorrendo no oceano Atlântico, que vem afastando a África da América do Sul.

Ficou com alguma dúvida sobre os termos apresentados aqui? Então não deixe de conferir nossos outros artigos de Geografia. Ficou com alguma dúvida sobre as Placas Tectônicas? Deixa seu comentário aqui e nós teremos o maior prazer em te ajudar a esclarecer esse assunto. No mais, bons estudos e até a próxima.

Deixe sua mensagem

Your email address will not be published. Required fields are marked *