As 3 Leis de Newton

Um dos físicos mais famosos da história foi o inglês Isaac Newton, que viveu entre 1642 e 1727, quando faleceu aos 85 anos de idade. Newton deixou grandes contribuições científicas, especialmente na física e na matemática. Neste artigo estudaremos uma das principais descobertas de Newton. Ele criou, no século XVII, um conjunto de leis que descrevem a relação entre um corpo e o movimento causado pelas forças que sobre ele atua. Essas leis foram publicadas em 1687 em sua principal obra, Philosophiae Naturalis Principia Mathematica, que fala também da lei da gravitação universal.

Além de físico, Isaac Newton também era matemático, astrônomo, alquimista, filósofo natural e teólogo. Veremos a a seguir quais são as 3 Leis de Newton.

1ª Lei – Princípio da Inércia

Todo corpo em repouso tende a permanecer em repouso e todo corpo em movimento (retilíneo e uniforme) tende a permanecer em movimento (retilíneo e uniforme), a menos que uma força altere estas condições.

Por exemplo: A não ser que um carrinho de supermercado seja empurrado, ele tende a permanecer parado no mesmo lugar.

A Lei da Inércia explica porque somos jogados para frente em um carro, quando se freia bruscamente. Na verdade, nosso corpo tende a continuar a mesma trajetória (para frente). E quando o carro pára de repente, o corpo continua em movimento.

Lei da Inércia, por Garfield.

2ª Lei – Princípio Fundamental da Dinâmica

A segunda lei observa que uma mesma força aplicada em dois corpos de massas diferentes não resulta numa mesma aceleração.

Por exemplo, se empurrar com a mesma força uma mesa de plástico(menor massa) e uma mesa de madeira maciça (maior massa), a aceleração da mesa de plástico será maior.

A força é sempre diretamente proporcional ao produto da aceleração de um corpo pela sua massa. Em módulo: F=ma.

Onde:

  • F é a resultante de todas as forças que agem sobre o corpo (em N);
  • m é a massa do corpo a qual as forças atuam (em kg);
  • a é a aceleração adquirida (em m/s²).

3ª Lei – Princípio da Ação e Reação

Esta Lei observa que as forças atuam em pares, e que para cada força de ação, existe uma força de reação,  que tem intensidade e direção iguais, mas sentido oposto.

Por exemplo, se alguém der um soco numa parede, a força que seu punho exercerá sobre a parede será a mesma que a parede exercerá sobre seu punho.

 

A partir da observação destes três princípios, podemos concluir que:

  • Se o corpo está em repouso, sua força resultante = 0
  • Se a velocidade do corpo está aumentando, a força resultante será ≠ 0 e a força resultante, a velocidade e a aceleração terão o mesmo sentido (→ )
  • Se a velocidade se torna constante, a força resultante será = 0
  • Se a velocidade está diminuindo, a força resultante será ≠ 0, a aceleração e a força resultante terão mesmo sentido (← ) e a velocidade terá sentido oposto às duas (→ ).

É bom lembrar que:

  • O sentido da força de atrito é contrário à tendência de deslizamento,
  • Força resultante e aceleração estão sempre na mesma direção,
  • Ação e reação estão sempre em corpos diferentes e por isso nunca se anulam.

Deixe sua mensagem

Your email address will not be published. Required fields are marked *