Teoria da Evolução

Você com certeza já ouviu falar nas teorias evolucionistas e, muito provavelmente, seguidas pelo nome do naturalista inglês Charles Darwin como principal elaborador destas teorias. Este pensamento está correto em partes, porém é preciso lembrar que o trabalho e estudo de Darwin contou com a participação fundamental de um outro cientista menos conhecido, chamado Alfred Wallace, que havia iniciado suas obervações científicas há algum tempo mas por fim trabalhou e formou as bases da teoria evolucionista com Darwin. Porém, as teorias ficaram conhecidas como “Darwinismo“.

Depois de Alfred Wallace apresentar seus manuscritos a Darwin, este, que já tinha alguns argumentos e evidências e mais destaque no meio científico, foi quem escreveu o livro “A origem das espécies por meio da seleção natural, ou a preservação das raças favorecidas na luta pela vida”. Este fato é o que faz com que, na maioria das vezes, apenas ele seja lembrado.

A teoria darwinista tem como princípio básico a ideia de que os organismos que são melhores adaptados têm mais chances de sobreviver e se reproduzir, deixando assim um maior número de descendentes do que aqueles indivíduos que não estão adaptados. Esta capacidade de adaptação seleciona estes indivíduos para um ambiente e culmina na eventual extinção dos que não se adaptaram.

Darwin e Wallace acreditavam que todos os indivíduos, mesmo que sendo de uma mesma espécie, tinham diferenças entre si. E que essas diferenças eram passadas de geração para geração. Os mais adaptados sobreviviam, enquanto os menos adaptados morriam antes de deixar descendentes.

Um exemplo clássico para este conceito e muito usado nas escolas e nos vestibulares é o caso das girafas. Você já deve ter visto esta figura:

Evolução

Somente as girafas adaptadas sobreviveram ao ambiente

A teoria darwinista mostra que as girafas de pescoço mais longo alcançavam o topo das árvores, onde podiam se alimentar de folhas melhores e em maior quantidade. As outras girafas, que não alcançavam as folhas das árvores, estavam fadadas a não sobreviver naquele ambiente, morrendo de fome e não deixando seus descendentes, enquanto as girafas de pescoço longo transmitiam seus genes aos filhotes. Isso as torna adaptadas àquele ambiente.

Darwin e a Igreja

Charles Darwin teve muitos problemas com a igreja, pois suas teorias iam contra o que a igreja acredita, que todos os seres vivos da Terra foram criados por Deus. Essa questão ainda é bastante discutida, pois nem todos acreditam nas teorias de Darwin. Além disso, ele constantemente ridicularizado por suas crenças.

A Penicilina

Somado aos fatores naturais, existe também a influência humana na seleção de espécies. Um exemplo simples e conhecido é o de alguns grupos de bactérias. Inicialmente, quando descoberta, a penicilina era um tratamento eficaz para diversas doenças bacterianas, mas atualmente é um método ineficaz para muitas, uma vez que o uso indiscriminado da substância selecionou bactérias resistentes ao medicamento, tornando-o inútil para muitas situações.

Relacionados

Deixe sua mensagem

Your email address will not be published. Required fields are marked *