Parasitoses Humanas: Helmintos Nematódeos – Ciclo de vida e Profilaxia das Doenças

Seguindo a nossa série de textos sobre Parasitoses, hoje vamos falar sobre os Helmintos Nematódeos. Um dos animais que estabelecem relação parasitária com humanos, os helmintos são os famosos vermes!

Esses parasitas podem ser de diferentes reinos: Nematoda (nematódes), annelida (anelídeos) e Platyhelminthes  (plarelmínteos).

Apesar de terem a relação parasita em comum, esses vermes possuem características específicas (sinapomorfias) que o incluem em um determinado reino. Vamos falar um pouco sobre o reino Nematódea e seus parasitas humanos.

Helmintos Nematódeos e suas Características

Possuem corpo com simetria bilateral, sem segmentação verdadeira. São cilíndricos e alongados. Alguns exemplos de indivíduos desse reino são:

Ascaris lumbricoides

Causador da doença ascaridíase. Seu ciclo é monoxênico (ou seja, ocorre em apenas um hospedeiro) e acontece da seguinte forma: 

Os ovos são expelidos com larvas L1 no ambiente através das fezes de uma pessoa contaminada. Esses ovos ainda não estão em estágio infectante (L3), porém no meio ambiente ela se transforma em L2 e, futuramente, em L3. Transmitido através da ingestão de água e alimentos contaminados com o ovo já em estágio larval L3, pode ficar no ambiente por meses.

Após sua ingestão, esse ovo eclode no intestino delgado, liberando L3 no mesmo. Essas larvas vão atravessar a parede do intestino, caindo nos vasos linfáticos e, então, são levadas ao fígado. Do fígado, chegam ao coração e são transportadas para o pulmão, onde se transformarão em L4, caindo nos alvéolos e mudando para L5.

Quando transformadas em L5, essa larva pode ser expelida pela expectoração ou deglutida, onde se transformará em verme adulto, no intestino delgado. Esses vermes adultos, macho e fêmea, então copulam e liberam seus ovos no intestino do hospedeiro, reiniciando o ciclo.

Sintomas: Destaca-se a prisão de ventre e diarreia, variação de humor, tosse, desnutrição e febre. Como profilaxia temos o saneamento básico, e atos como lavar as mãos depois de usar o banheiro.

Trichuris trichiura

Possui o ciclo monoxênico e ocorre assim:

Os ovos do verme são liberados através das fezes para o meio ambiente. Nele, esses ovos infectados contaminam água e alimentos, podendo ser ingerido pelo ser humano. Após ingeridos, os ovos eclodem e são liberadas as larvas no intestino delgado do hospedeiro (homem).

Diferentemente da anterior, aqui a larva completa seu ciclo apenas no intestino humano, migrando da região duodenal para região cecal do intestino grosso. No ceco, então, as larvas penetram o epitélio do intestino e se transformam, então em vermes adultos que liberarão seus ovos reiniciando o ciclo.

Como dentro do hospedeiro a larva está confinada no intestino, os sintomas se concentram nessa região e são: dores abdominais, diarreia, sangramento, anemia, perda de apetite e até prolapso retal.

Profilaxia: Saneamento básico e educação sanitária, como lavar as mãos depois de usar o banheiro e lavar bem alimentos.

Helmintos Nematódeos

Saiba tudo sobre Helmintos Nematódeos

Enterobius vermicularis

Popularmente conhecido como oxiurus, este helminto apresenta ciclo monoxênico e diferentemente dos ciclos apresentados acima, não são somente os ovos que são liberados com as fezes. Aqui a fêmea se desprende da região cecal do intestino grosso repleta de ovos e então ao se encontrarem no ânus do hospedeiro, liberaram os ovos. Esses irão contaminar o meio ambiente e serão ingeridos pelo hospedeiro que se contaminam com ovo larvado que eclodem no intestino delgado, e chegam na fase adulta até completar o trajeto entre intestino delgado-ceco.

A doença é pouco assintomática, causando principalmente, prurido anal.

Profilaxia para essa parasitose consiste no saneamento básico e ensino da higiene.

Ancylostoma duodenale / Necator americanos

Causadores da doença ancilostomoses, no velho mundo (A. duodenale) e no novo mundo (N. americanos). Ambas as espécies apresentam ciclo monoxênico, onde os ovos são eliminados através das fezes para o meio ambiente.

O ovo no meio ambiente possui a larva L1 que é liberada com a eclosão do ovo. A L1 apresenta modo de vida ativo se alimentando de matéria orgânica presente no solo e se movimentando. Ainda no meio ambiente sofre muda para L2 e então L3. Nessa fase ainda permanece com modo de vida ativo, podendo infectar o ser humano através da penetração cutânea ou pela sua ingestão juntamente com alimentos contaminados.

Ao penetrar a pele ativamente, a L3 atinge sistema circulatória ou linfático, podendo chegar ao coração e pulmões se transformando em larva L4. Após chegar aos pulmões migram para traqueia e faringe, onde são deglutidas chegando ao intestino delgado. Ao se estabelecer no intestino delgado, após, aproximadamente, uma semana, a larva se fixa na parede intestinal, exercendo hematofagia.

Larvas L3 ao serem ingeridas, migram direto para o duodeno. Devido as diversas fases de vida que esse verme pode ter, a doença pode apresentar diferentes sintomas: se foi uma penetração ativa, o hospedeiro pode apresentar tosse seca, rouquidão e febre. Ao se fixarem no intestino podem causar náuseas, desnutrição, anemia, constipação ou diarreia.

Profilaxia: além do tratamento do doente, tem a higiene pessoal e o saneamento básico.

Strongyloides stercoralis

Possui duas formas de ciclo, direto e indireto.

Direto: ocorre a partenogênese, onde as larvas não infectantes do verme (rabditóides) se transformam em larvas infectantes (filarióides).

Indireto ou sexuado as larvas rabditoides sofrem 4 mudas ainda no solo, gerando adultos machos e fêmeas. Então, após copula são gerados ovos com larvas rabdiformes que se transformarão em larvas filarióides.

Os dois ciclos possuem a penetração ativa da larva na pele ou mucosa (da boca, do esôfago ou do estômago) do hospedeiro. Após a penetração, a larva migra para coração e pulmão, se transformando em L4 e migram para faringe onde são deglutidas. Ao chegar no intestino delgado após a deglutição, se transformam em fêmeas que reproduzem por partenogênese, iniciando o ciclo direto do verme.

Sintomas causados por essa verminose são tosse, febre, hemorragia pulmonar, edema pulmonar, insuficiência respiratória e enterites. Como profilaxia temos, saneamento básico.

Ficou com alguma dúvida? Deixa aqui nos comentários que temos o maior prazer em te ajudar. Não deixa de ler os outros textos sobre Parasitose Humana, e Bons Estudos!

Deixe sua mensagem

Your email address will not be published. Required fields are marked *