O Sistema Digestivo

Os animais retiram da comida a energia e os nutrientes de que precisam para mover-se, crescer e reproduzir-se. Cada célula deve receber um suprimento alimentar constante, mas, para chegar a ela, e ser absorvido, o alimento tem de passar por várias transformações, que constituem o processo digestivo.

Mesmo os mais simples animais, como a ameba (formada de uma só célula), fazem digestão, transformando substâncias estranhas em componentes do próprio organismo, e eliminando o que é desnecessário. Excetuando animais como a ameba, a digestão desenvolve-se em geral num comprido e enrolado tubo que vai desde a boca até o ânus ou cloaca, por onde os restos são eliminados.

O que é Absorvido dos Alimentos

Os alimentos têm três tipos de substâncias essenciais ao corpo e que precisam ser digeridas: carboidratos (como açúcar e amido), proteínas (leite, carne, etc.) e gorduras. Para facilitar sua absorção, o tubo digestivo tem de liberar certas substâncias, as enzimas, que transformam esses alimentos, de modo que eles possam dissolver-se depois no sangue. Outros componentes da alimentação (as vitaminas e os sais minerais) não precisam ser transformados, pois o organismo os absorve em estado natural.

O Processo Digestivo

A digestão começa na boca, onde a comida é triturada pelos dentes e misturada à saliva. Uma enzima da saliva começa a transformar o amido dos alimentos (como o arroz) em açúcar. Cada pedaço de comida engolida (o bolo alimentar) passa por um tubo chamado esôfago. As paredes do esôfago têm músculos que empurram o bolo alimentar até o estômago.

O estômago, um tubo mais largo e arredondado, em forma de maia-lua, produz outra enzima que começa então a decompor as proteínas. Essa enzima é ativada pelo ácido clorídrico também ali produzido. Outra enzima estomacal coagula a proteína do leite (o que é importante sobretudo na digestão dos bebês). O conjunto formado pelas enzimas, muco e ácido clorídrico chama-se suco gástrico e é produzido no estômago por cerca de 30 milhões de pequenas glândulas que existem na parde do órgão. Mastigar a comida ou simplesmente vê-la, quando se tem fome, estimula o estômago a produzir suco gástrico.

aparelho-digestivo

Aparelho Digestivo

Depois de algumas horas, o alimento já está parcialmente digerido e transformado numa pasta, por causa da ação do suco gástrico e das contrações musculares do estômago. Então a comida vai para o intestino delgado, onde terminará sua transformação química.

A passagem para o intestino faz-se através do duodeno, tubo em forma de “U”, com cerca de 25 centímetros de comprimento. Junto a ele está o pâncreas, glândula que produz duas secreções líquidas: uma vai direto para o sangue e outra (o suco pancreático) é lançada no duodeno. A bílis, secreção produzida pelo fígado, também penetra no duodeno. Essas secreções aceleram a digestão: a bílis reduz as gorduras a gotas pequenas; e as enzimas do pâncreas acabam de dissolver gorduras, proteínas e carboidratos.

No intestino delgado, o alimento digerido é absorvido e passa para os vasos sanguíneos. Essa absorção é feita através de finos prolongamentos que cobrem a parte interna do intestino.

O alimento dissolvido no sangue é encaminhado ao fígado, que tem um trabalho de distribuir os nutrientes necessários ao corpo e guardar o resto para uma necessidade futura.

A parte dos alimentos que não pode ser digerida passa ao intestino grosso, que absorve a água nela contida. É a fase final da digestão. A pasta fica mais sólida e é eliminada em forma de fezes.

Deixe sua mensagem

Your email address will not be published. Required fields are marked *