Biorremediação

A Biotecnologia é uma ciência que trás muitos recursos para diversas áreas através de novidades tecnológicas envolvendo seres vivos. Dentre essas novidades, está a Biorremediação. Já ouviu falar?

Esta técnica nada mais é do que uma forma de utilizar bactérias para limpar locais atingidos por algum tipo de substância prejudicial ao meio ambiente. Como funciona? Os microrganismos digerem substâncias orgânicas, das quais obtêm nutrientes e energia para sobreviverem. Essa digestão pode ser usada para degradar ou remover contaminantes nocivos ao ambiente. A biorremediação é muito usada para limpar áreas contaminadas por combustíveis, solvente, petróleo, etc. Na maioria das vezes esta técnica é usada em mares, rios ou lagoas. Mas também pode ser usada no solo.

Depois de acabar com os resíduos, a população de bactérias diminui, dando lugar a outras populações de bactérias, que se adaptam àquele ambiente.

O crescimento das bactérias depende de diversos fatores, como temperatura, pH, umidade, etc. Por isso, manter a biorremediação é uma tarefa difícil, por ter que controlar todos esses fatores.

Condições das Bactérias

A biorremediação pode ser feita em condições aeróbicas ou anaeróbicas. Bactérias aeróbicas fazem a degradação dos contaminantes utilizando o oxigênio presente no ambiente, já as bactérias anaeróbicas fazem esta degradação sem a utilização do oxigênio. Este processo é mais lento que o aeróbico.

As empresas de Biotecnologia vêm fazendo estudos para modificar algumas bactérias, para que façam essa degradação mais rapidamente. O sucesso dessas pesquisas resultará em economia de tempo e dinheiro.

Categorias de Biorremediação

mancha de petroleo

A biorremediação é muito usada para limpar manchas de petróleo no mar

Esta medida pode ser usada para descontaminar água e solo. A biorremediação é dividida em duas categorias: in situ e ex situ. Quando o tratamento é feito no próprio local contaminado, é chamado de in situ. Mas quando se coleta a água ou solo para descontaminação em outro local, é chamado de ex situ.

As técnicas in situ liberam menos contaminantes para o ambiente, pois não é necessário fazer escavações. Por esse motivo também são mais econômicas. Em contrapartida, são mais demoradas e mais difíceis de manejar.

As técnicas ex situ são mais rápidas e mais fáceis de controlar. Porém demandam mais custos e podem espalhar a contaminação pelo ambiente.

Biorremediação com Plantas

Além das bactérias, outro ser vivo que pode ajudar na limpeza de locais contaminados são as plantas. Existem algumas espécies que conseguem absorver substâncias químicas pesadas. Dessa forma, elas acumulam metais pesados em seus caules e folhas, protegendo o meio onde vivem.

A Biotecnologia também utiliza as plantas nos processos de Biorremediação, dependendo da substância contaminante.

Algumas enzimas também podem ser utilizadas nos processos de Biorremediação.

Como tudo que envolve estudos na área da Biotecnologia, a Biorremediação também vem sendo pesquisada e discutida, a fim de avaliar os prós e contras da técnica.

Deixe sua mensagem

Your email address will not be published. Required fields are marked *